Sindicato dos Bancários de Bragança Paulista e Região    |    30 anos    |    1986 - 2019     |
                 

Notícias

COMPARTILHE:


Aprovada a proposta de recuperação da Cassi
Fonte: Contraf-CUT | Bragança Paulista - 02/12/2019

Resultado representa uma vitória dos funcionários e uma derrota do governo; se a proposta fosse recusada a Cassi correria o risco de ter sua carteira liquidada e isso abriria caminho para a privatização do Banco do Brasil



A proposta de recuperação da Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil foi aprovada na consulta realizada ao corpo de associados entre os dias 18 e 28 de novembro.

Dos 167.557 associados em dia com suas obrigações, 124.267 (74,16%) exerceram o direito de voto. Foram 81.982 (65,97%) votos favoráveis à proposta e 39.608 (31,87%) contrários, com 1.161 (0,93%) brancos e 1.516 (1,22%) nulos. Considerando apenas votos válidos, a proposta foi aprovada com 67,42% dos votos.

“Esse resultado representa uma vitória muito grande para os funcionários e uma derrota do governo, que queria ver o fim da Cassi para ter caminho aberto para a privatização do banco do Brasil”, disse o Coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB), João Fukunaga.


“Mas, o mais importante foi ter conseguido aprovar uma proposta elaborada conjuntamente entre as entidades de representação que mantém o caráter solidário da Cassi, onde quem ganha mais contribui com mais e quem ganha menos com menos”, completou Fukunaga.



Com a aprovação da proposta, a contribuição continuará sendo cobrada pelo percentual de salário.

Dependentes
Também foi mantida a solidariedade para os dependentes. Como as verbas não são “carimbadas”, a contribuição que será paga pelo BB para os dependentes dos funcionários da ativa será usada também para os dependentes dos aposentados.

Aposentados
O desembolso de um aposentado com o dependente, será de 2%, limitado a R$ 300. Para os funcionários da ativa, caso ele tenha família com três dependentes, a contribuição estipulada é de 1,75%, sendo 1% para o primeiro dependente, 0,5% para o segundo e 0,25% para o terceiro.