Sindicato dos Bancários de Bragança Paulista e Região    |    30 anos    |    1986 - 2020     |
                 

Notícias

COMPARTILHE:


CONFERÊNCIA ESTADUAL DOS BANCÁRIOS DE SÃO PAULO ORGANIZA LUTA PELA MANUTENÇÃO DO EMPREGO E DIREITOS
Contraf CUT | Bragança Paulista - 06/07/2020



Os bancários do Estado de São Paulo definiram suas prioridades para a Campanha Nacional Unificada 2020. A 22ª Conferência Estadual dos Bancários de São Paulo, realizada neste sábado 4 de julho, de forma virtual, elegeu a delegação e votou a pauta de reivindicações que será levada ao debate na Conferência Nacional, a ser realizada entre os dias 17 e 18 de julho, e que aprovará a pauta final de reivindicações, a ser entregue à federação dos bancos (Fenaban).

Os congressos do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal serão realizados de 10 a 12 de julho. A data base da categoria é 1º de setembro.

Mesmo em isolamento social por conta da pandemia do novo coronavírus, a categoria bancária será chamada a participar da campanha, inicialmente respondendo à Consulta Nacional aos Bancários, que permite a todos os trabalhadores darem sua opinião sobre temas importantes, as prioridades da campanha, as formas como os sindicatos devem se comunicar e até como pretende participar das ações da campanha.

Participaram da 22ª Conferência Estadual dos Bancários da FETEC-CUT/SP 325 delegados, eleitos em assembleias realizadas pelos sindicatos e nas conferências regionais preparatórias.

No atual cenário, no qual os os segmentos que representam a elite econômica do país, em especial o setor financeiro, tentam, em conjunto com o governo Bolsonaro, se aproveitar do momento vulnerável da sociedade para impor uma agenda de retrocessos com "flexibilização" de direitos e venda do patrimônio público, os debates feitos na Conferência apontaram caminhos para dialogar com a sociedade, como o papel que os bancos deveriam cumprir para que se preservassem os empregos e a renda, a importância das políticas públicas e de empresas públicas capazes de atuar para reduzir as desigualdades.

"Os desafios que vamos enfrentar para manter nossos direitos e empregos, neste cenário adverso, são grandes, e por isso nossa mobilização será à altura. Os bancários, como sempre, vão participar das campanhas e dialogar com a sociedade não apenas sobre nossa justa pauta de reivindicações, mas também sobre os efeitos do atual modelo adotado pelo sistema financeiro, concentrador de renda e gerador de desigaldades, para que possa ser construído um novo modelo, mais inclusivo e que de fato atenda às necessidades de todos" disse Aline Molina, presidenta da FETEC-CUT/SP.

Plano de Lutas definido na 22ª Conferência Estadual dos Bancários

– Manutenção da Convenção Coletiva de Trabalho e da mesa de negociação com os bancos;
– Em defesa do emprego;
– Pela continuidade do aumento real e PLR;
– Contra o fechamento de agências e departamentos;
– Em defesa dos bancos públicos e da sua função social;
– Regulamentação da jornada de Teletrabalho;
– Sindicalização eletrônica;
– Bancarização X Fechamento de agências;
– Crédito com juros baixos para impulsionar o crescimento e distribuição de renda;
– Defesa dos bancos públicos;
– Saúde e condições de trabalho;
– Defesa da democracia;
– Apoiar candidaturas nas eleições municipais de 2020 que defendamos os direitos dos trabalhadores e os bancos públicos;
– Ampliar o acesso dos brasileiros aos bancos;
– Defender a concessão de crédito com juros baixos, para impulsionar o crescimento econômico e a distribuição de renda;
– Ampliar nossa representação através dos que defendem os direitos dos trabalhadores e dos bancos públicos.

Confira mais: